Universidade deve fornecer máquinas para testagem e indicar outros projetos prioritários para enfrentamento à pandemia. Também articula ações com o governo federal

 

Da Ascom, Gabinete da Reitora ( 

A reitora Márcia Abrahão participou, nesta terça-feira (24), de uma reunião on-line com o secretário de Ciência e Tecnologia do Distrito Federal, Gilvan Máximo, e com o presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa do DF (FAP-DF), Alessandro Dantas, para alinhar parcerias estratégicas institucionais voltadas para o combate ao coronavírus (Covid-19).

Universidade acredita na pesquisa científica como uma das respostas à pandemia de Covid-19. Foto: Daiane Souza/Secom UnB

Uma das possibilidades é a oferta de cinco máquinas ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) do DF, para auxiliar na testagem da doença. Quatro das máquinas estão hoje alocadas no Instituto de Ciências Biológicas (IB) e uma na Faculdade UnB Ceilândia (FCE). Outra possibilidade é a produção de álcool em gel em larga escala pela farmácia-escola do Hospital Universitário (HUB). Há, ainda, proposta para a fabricação de máscaras e para a implantação de salas de situação em cem municípios do DF e do Entorno, entre outras.

“A UnB tem grande capacidade de dar apoio ao GDF e à sociedade do DF para superarmos esta pandemia, inédita para todos nós. Temos pesquisadores de alto nível e máquinas que podem ajudar enormemente os gestores públicos. Nossos estudantes também estão muito motivados para colocar em prática o conhecimento que já adquiriram”, disse a reitora.

ARTICULAÇÃO – A Reitoria criou, nesta segunda-feira (23), o Comitê de Pesquisa, Inovação e Extensão de Combate à Covid-19 da UnB. O Comitê é presidido pela decana em exercício do Decanato de Pesquisa e Inovação (DPI), Cláudia Amorim, e tem participantes de 14 unidades da instituição.

A Universidade ficou de apresentar à FAP-DF, até a próxima quarta-feira (1º/4), uma lista de projetos prioritários. “O Comitê já fez a primeira reunião hoje [terça] e irá fazer uma chamada interna de projetos já amanhã. Com isso, vamos prospectar iniciativas, que podem incluir parceiros externos à UnB”, pontuou a Cláudia Amorim, também presente na conversa com a Secretaria de Ciência e Tecnologia e com a FAP-DF.

Ficou acertado que a Secretaria de Saúde do DF, provavelmente por meio de representantes do Lacen, e o HUB, serão convidados para analisar e priorizar os projetos da UnB a serem encaminhados à Fundação de Apoio.

Sediada no campus Darcy Ribeiro, Fiocruz buscou UnB para parceria. Foto: Conexões Boas Notícias

Outra instituição com quem a Universidade de Brasília deve firmar parceria institucional é a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Em ofício enviado à administração da UnB na última sexta-feira, a instituição propõe a criação de uma Unidade de Inteligência Cooperativa para enfrentamento da Covid-19.

"Este é um momento em que gestores públicos e institutos de pesquisa precisam estar de mãos dadas. Somente com a colaboração de todos vamos conseguir enfrentar adequadamente o difícil cenário posto pelo vírus", afirmou a reitora Márcia Abrahão.

Recentemente, a UnB encaminhou ao Ministério da Educação propostas com foco no combate à pandemia de Covid-19. A instituição aguarda, agora, retorno quanto ao repasse de recursos e orçamento para a viabilização dos projetos.

>> Ato da Reitoria cria Comitê de Pesquisa e Inovação para enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do coronavírus

ATENÇÃO – As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: nome do repórter/Secom UnB ou Secom UnB. Crédito para fotos: nome do fotógrafo/Secom UnB.