Entre as ações, está a fabricação de álcool em gel pela farmácia escola do HUB e a criação de salas de situação para cem municípios do DF e Entorno

 

Da Ascom, Gabinete da Reitoria (

Um dos projetos benecificiados pela verba vai implementar, em cem municípios, salas de situação para enfrentar a crise. Foto: Beto Monteiro/Secom UnB

 

Cinco projetos da Universidade de Brasília foram contemplados com recursos do Ministério da Educação (MEC) para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. As iniciativas, apresentadas após convocação emergencial da pasta, feita a todas as universidades federais, receberam crédito orçamentário extra de R$ 6,5 milhões, conforme descrito na Medida Provisória n. 942, de 2 de abril. A previsão é que as ações comecem a ser implementadas imediatamente.

 

"A UnB tem colocado à disposição da sociedade toda sua expertise e capacidade técnica desde que o cenário de emergência em saúde pública começou a se desenhar. Esses projetos são um exemplo disso, de como podemos colaborar nesta situação", comentou a reitora Márcia Abrahão. "Parabenizo os docentes, estudantes e técnicos envolvidos nas iniciativas", acrescentou, lembrando também da chamada pública lançada pelo Comitê de Pesquisa, Inovação e Extensão.

Um dos projetos vai beneficiar cem municípios do Distrito Federal e do Entorno, com a implementação de salas de situação nessas localidades. "A sala de situação ajuda a entender o cenário, coletando dados e evidências que auxiliam o gestor público a tomar a melhor decisão em uma emergência de saúde", explica o professor Jonas Brandt, da Faculdade de Ciências da Saúde (FS), um dos responsáveis pela sala de situação da UnB.

 

"Cidades maiores costumam ter esse tipo de estrutura, mas municípios pequenos e, até mesmo, algumas das regionais de saúde do DF não dispõem dessa organização do trabalho", completa ele, que integra o Comitê Gestor do Plano de Contingência em Saúde da Covid-19 da UnB (COES).

Farmácia escola do HUB, em parceria junto com FS, FM e FCE, produz álcool em gel. Foto: Divulgação

ÁLCOOL EM GEL – Outro projeto é para a produção de álcool em gel pela farmácia escola do Hospital Universitário de Brasília (HUB), em parceria com a FS, com o Núcleo de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina (FM) e com a Faculdade UnB Ceilândia (FCE). "Com a provisão de recurso pelo MEC, o HUB poderá reforçar as ações de enfrentamento ao novo coronavírus, entre elas a produção dessa substância. O valor será utilizado para a compra de insumos, frascos e equipamentos", detalhou a superintendente do Hospital, Elza Noronha.

A proposta é que sejam produzidas 1,2 mil embalagens de álcool em gel 70%, de 250 ml cada. O material deve ser encaminhado à UnB, "que tanto tem contribuído com o Hospital na luta contra a Covid-19", reforçou a professora Elza. O HUB já vem fracionando álcool em gel 70 INPM, cujo insumo é proveniente das doações recebidas pelo hospital. Também está produzindo álcool 70 líquido, com a ajuda de doações, em uma das ações do projeto Covid – Colaboração para a vida, uma colaboração entre a FS e a FCE. Todo esse material é direcionado para uso interno dos profissionais de saúde da unidade.

 

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA – O consórcio HUB, FS e FM também será responsável por três outros projetos: um laboratório de vigilância e epidemiologia molecular (que dará suporte para diagnóstico de casos graves); um para estimar os custos da Covid-19 para o Sistema Único de Saúde (SUS); e outro para detectar a transmissão comunitária do vírus, bem como indicar medidas epidemiológicas e sanitárias necessárias.

 

Leia mais: 

>> Chamada pública aprova 115 projetos desenvolvidos pela Universidade de Brasília

>> HUB e UnB produzem máscaras cirúrgicas

>> UnB distribui álcool em gel de fabricação própria pelos campi

>> Chamada busca projetos e ações para combate à Covid-19

>> UnB entrega 50 máscaras protetivas ao HRAN

>> UnB mantém, em modo remoto, atividades administrativas, pesquisas e iniciativas de extensão

ATENÇÃO – As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: nome do repórter/Secom UnB ou Secom UnB. Crédito para fotos: nome do fotógrafo/Secom UnB.